Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

A nova lei do atendimento prioritário

prioritário.png

 

Podia começar este post da seguinte forma:

Uma grávida, um coxo, um velho de andarilho e uma senhora com um puto ao colo entram num supermercado para fazer as compras do dia.

Mas não vou.

 

Ora diz então que hoje entra em vigor a nova lei do atendimento prioritário que, pelo que consegui ouvir hoje nas noticias, visa garantir que um conjunto de pessoas tenha atendimento mais rápido (daí o prioritário) no atendimento ao público, devendo para isso, o estabelecimento responsabilizar-se por garantir esta prioridade.

Acho bem, ainda que incompleto.

Diz a lei que (e mais uma vez de acordo com o que pude ouvir nas noticias esta manhã) o estabelecimento que não garanta esta prioridade de atendimento poderá ser alvo de coima, podendo a pessoa lesada chamar a policia a intervir.

Muito bem.

Acho bem.

Contudo o problema não está, por norma, no estabelecimento nem em quem o gere, mas sim nos clientes que, mal educados e burgessos se recusam a dar prioridade a quem a tem e resmungam (quando não se recusam mesmo) ao dar passagem a uma grávida (ou outro dos visados).

Levante a mão a grávida que nunca ouviu “gravidez não é doença”. Ou como me aconteceu a mim, grávida, numa fila prioritária, alguém pegar ao colo um puto com 6 ou 7 anos para dizer que era uma criança de colo.

Seria interessante que as coimas a aplicar se impusessem aos estabelecimentos mas também aos clientes que se recusem a cumprir. Aí sim, enchíamos os cofres do Estado.

Se vivêssemos num país com o mínimo de civismo estas leis seriam desnecessárias e poderíamos todos despender energias com coisas mais importantes. Mas é assim.

De qualquer forma, e a titulo de esclarecimento, se uma grávida e um coxo estiverem na mesma caixa são atendidos por ordem de chegada.

Tinha esta dúvida quando estava grávida, mas ficou esclarecida por experiência.

Estava eu na caixa e chega um senhor e diz-me “desculpe, sou deficiente” ao que eu respondo “tá bem, eu estou grávida”. Ele consultou a tabela de prioridades e ficámos esclarecidos e felizes. Pelo menos nós, que o resto da malta já bufava por todos os poros.

 

Nota: Falo essencialmente das grávidas e ou das crianças de colo porque são as unicas situações que vivi e vivo. Nunca fui coxa permanente (só daquele vez que lixei o joelho) e também nunca fui velha.

 

Podem seguir os meus devaneios e palermices no Facebook ou seguir-me no Instagram.

Também podem subscrever os posts por e-mail aqui em baixo.

 

81 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

------Blogs de Portugal------

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D