Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em busca da felicidade

A primeira dormida fora

 

Já há vários meses que andamos para ganhar coragem e deixar o rapaz ir passar a noite aos avós. A verdade é que também é importante para nós perceber que, no caso de uma eventualidade, conseguimos deixá-lo com alguém sem haver stress de maior, ou seja, sem que ele passe mal a noite. A disponibilidade dos avós é permanente, aliás, pelos avós o neto vinha a casa ao fim de semana e, e...já era uma boda! Estão sempre em pulgas para que ele lá esteja. Ele também gosta de lá estar e nós, como é normal, estamos satisfeitos que toda a gente ande contente. O problema é toda esta coisa de uma pessoa quase não ter tempo para respirar e muitos dias ter a sensação de que mal o vê crescer torna dificil ganhar coragem para passar quase dia e meio sem o ver. Já tinhamos falado várias vezes em, numa 6ª feira qualquer, irmos jantar fora e ele ficar nos avós de 6ª para sábado. Dar-nos-ia a nós também algum tempo aos dois, como casal, para desanuviar, namorar, passear, essas coisas todas com e sem ar. Mas conversa para trás, conversa para a frente e eu não havia meio de me convencer, já estou sem ele horas que chegue, não me deixei levar pela 6ª feira em nenhuma das tentativas de convencimento. Até que surgiu uma oportunidade diferente. Como 5ª feira estávamos de férias e podiamos estar com o campeão o dia todo, ao final da tarde iamos levá-lo aos avós e nós aproveitávamos para jantar fora, só nós dois, sem termos de comer à vez, a podermos conversar sem ver publicidade na televisão ou ter de estar a cantar o "Era uma vez um cavalo" vezes sem conta. Um jantar romantico sem apanhar torcicolos por o prato estar a 2 metros (sim porque há dias em que se não for assim o puré fica colado à parede, pois!).

Lá me pareceu bem e aceitei fazer a experiência (dá para peceber que cá em casa marido sofre!!!). Mas apenas se o menino ficasse bem. Se ficasse a chorar, desfazia-se a combinação toda.

Quinta-feira chegou com um sabor maravilhoso a mini férias e eu, como mãe que se despede de um filho que vai 3 meses para a tropa, andei com o valentão alapado a mim o dia todo, afinal de contas ia dormir fora de casa e eu tinha que aproveitar o tempo que tinhamos disponivel. O pai arranjou a mala e eu verifiquei, questionei e reverifiquei que tudo estava nos mais perfeitos conformes para a cria ir passar 15 dias fora. Roupa a mais, fraldas a mais, comida, termómetro, ben-u-rons, soro e o diabo a quatro.

Pegámos no rapaz e em toda a sua bagagem para aquela longa temporada fora e arrancámos. No carro não me lembro de ter dito uma palavra. Só me ocorria que se ele verter uma lágrima que seja, não fica

Chegámos e o raça do miudo manda-se logo para os braços do avós. Adeus oh vai-te embora! Não se podia ter borrifado em nós mais depressa. O Nuno explicava as coisas à mãe e eu tava incredula com aquilo. Eu, de coração apertado, a minha cria ia dormir sem eu estar por perto para o protegar até dos seus sonhos maus, as lágrimas contidas para não parecer mariquinhas e o safado nas tintas para mim.

Bem sei, bem sei, que ainda bem que ficou bem e tranquilo e tudo e tudo. Mas no coração de mãe galinha ciumenta mora sempre, nem que seja um nadinha, a vontade de que a cria sinta a sua falta...e o demonstre. 

Mas enfim. Lambidas as feridas e acalmado o ego sofrido seguimos em frente.

Fomos pela 2º vez na vida a um restaurante indiano e mais uma vez adorámos. Eu como menina que sou fiquei com a lingua a arder com um semi-picante e nem fui ao seguinte porque o senhor me alertou logo, se não gosta muito de picante ou não está habituada é melhor se calhar não tocar neste.

Não toquei.

Agora, foi divertido, falaram de coisas assim quentes, fora do comum, puseram a conversa em dia? Bom, digamos que, quando chegámos ao carro, para regressar a casa (sim porque estas almas velhas já não têm pedalada para copos, ou pelo menos não neste momento da vida) demo-nos conta que passámos 95 % do tempo a falar do que o bebé faz, do que gostamos que ele faça, de como ele á giro, de como temos saudades dele todo o dia e tal e tal. Os outros 5 %? Tavamos a falar com o senhor para saber o que iamos pedir, afinal de contas não percebiamos pevas do menú. É que da única vez que fomos a um restaurante indiano tinha sido com o primo do Nuno e a esposa e eles é que trataram de pedir tudo, nós limitámo-nos a comer e a acenar que sim, estava bom.

E agora pensam, marotos queriam era ver-se em casa, deve ter sido a loucura?

E foi, foi sim senhora, uma noite muito boa, deveras quente, uma verdadeira tourada....de sono. Chegámos a casa de rastos, já passava das 23:30 e a essa hora já nós estamos normalmente no segundo sono. Por isso vimos meio Castle e fomos para a caminha...nanar. E nanámos até às 8 da manhã, wohohohoho!!! Há mais de 12 meses que o meu corpo não sabia o que era isso. Quando acordei até tava grogue!

Escusado será dizer que assim que acordei disse temos de ir burcar o menino! Não foi fácil levantar-me, e numa situação normal, com a privação de sono a que tenho sido submetida teria dormido até para lá do meio dia. Mas não me senti com coragem de o deixar ficar mais tempo. Não fosse ele começar a ficar preocupado...whuawhuawhua...!

Quanto à noite em si e à adaptação do pequeno, pegando nas palavras do avó foi "tudo do melhor".

Mãe sofre...porque é tola!!!

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

--------Instagram--------

------Blogs de Portugal------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D