Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em busca da felicidade

Abril

O começo de cada mês é o inicio de mais uma viagem. Mais uma maratona de trabalho para receber o desejado ordenado. Mais filas a caminho da ponte. Mais dinheiro na conta. Mais uma prendinha comprada, um agrado ao corpo e à alma pelo bem que nos portámos a trabalhar o mês inteiro. É o fim de um mês de que já estamos fartos, que a partir de dia 15 parece não ter fim mesmo que seja mais curto. Já desistimos de objectivos que tínhamos proposto e estamos desejosos de começar outros. Mais um inicio que acontece pelo ano para definir novas metas, para as tentar alcançar. Vamos começar uma dieta, vamos começar a correr, vamos começar a escrever, vamos inscrever-nos no ginásio…

O inicio de cada mês conta o tempo, já passou um mês disto, três meses daquilo. Conta quantos meses faltam para o verão e quantos ainda temos de esperar para as tão desejadas férias. Trazem os meses que mais gostamos, o nosso aniversário, o Natal. Trazem os meses que menos gostamos, aquele em que perdemos alguém que amávamos, em que a vida mudou por qualquer roda viva da vida.

O inicio de cada mês é isso mesmo, um inicio.

Tenho os meus meses favoritos, tinha um mês que detestava, mas agora passou para a lista de favoritos, um dia falo dele.

Quero escrever um texto para cada mês e decidi começar em Abril.

Abril, o mês que lá em casa dava inicio à “época de aniversários”, sempre vi Abril dessa forma. Em Abril faz um irmão anos, depois Maio trás mais 2 aniversários e Junho trás o meu. Assim, em escadinha. Dizem que Abril águas mil, mas para mim, não sei porquê não vejo Abril como um mês de chuva, cinzento. Quando penso em Abril penso em flores, penso em sol, não o sol de verão, de calor intenso para ir para a praia, não, penso num sol morno, aquele que dá um calorzinho mesmo bom para ir passear mas que ainda obriga a trazer um casaquinho de malha, aquele que traço na cintura com as mãos enquanto fecho os olhos e estendo o rosto ao sol. O sol que pede passeio, não praia.

Gosto de Abril. Não sei porquê mas para mim Abril trás a Páscoa. Sei que não tem nada a ver mas não consigo esquecer o ano em que o irmão mais novo fez anos no dia de Páscoa, calhou no mesmo dia e foi em Abril. Gosto do 25 de Abril, não me lembro de o festejar e só fui uma vez, quando ainda era pequena, à Festa do Avante, mas gosto da ideia, gosto do que nos trouxe, talvez porque não soubesse viver numa terra de censura. Eu calada, como estaria para aqui a escrever baboseiras?!

Para mim Abril são cravos vermelhos e cravos vermelhos são flores, são cor, são vida e são liberdade.

Quando era miúda Abril trazia as férias de Páscoa, o fim do segundo período de aulas, as notas, os dias com as amigas e os compromissos de sempre que agora é que me ia esforçar à séria, que aí a nada acabava o ano e queria ter uma boa média. Ia acabar-se a ronha. Abril significava que faltava o ultimo esforço até às férias de verão, as tardes na praia, as mangas curtas, as peles bronzeadas.

Abril passou a ser a ser um mês de coragem. Quando o ano passado fui mãe, foi o 1º de Abril que me fez ganhar coragem para começar a sair de casa com o bebé. Os raios de sol que com ele vieram. Sol é alegria e alegria é vontade de viver. De nos levantarmos da sombra dos nossos medos e fazer alguma coisa que nos faça feliz.

Por tudo isto e muito mais bem-vindo Abril, já tinha saudades tuas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------ Gostar da Página ------

------ Blogs de Portugal ------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D