Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

E pronto, lá vou eu ler “O nosso Reino”

reino.png

 

Esta situação que está a ser vivida com o livro “O nosso Reino” de Valter Hugo Mãe está a dar-me a volta ao estômago de tantas formas que nem sei bem por onde começar. A leviandade e a estupidez num matrimónio descarrilado que se celebra por uma cataduta de opcionalmente ignorantes.

Mas vamos por partes, que isto não há nada como dissecar os temas com calma e tranquilidade para lhes encontrarmos o âmago.

 

Em primeiro lugar se o queixume e choque anafilático-indignado tivesse acontecido à Maria Clotilde, mãe da Marlene Beatriz e ao Quim Tó, pai do Rúben Filipe, que estão no 8º A da E, B 2/3 do Feijó, escola que até há dois anos era um pré-fabricado, estou certa que ninguém lhes tinha dado ouvidos. Até porque a escola em que os filhos estudam foi um pré-fabricado durante 30 anos, e por mais queixas que tivessem sido feitas só em 2014 alguém se lembrou que essa coisa de ter alunos a aprender Físico-química com um alguidar ao lado, para apanhar as pingas da chuva, era coisa para não ser muito adequada. De qualquer modo posso imaginar a malta lá para o Ministério da Educação a receber uma queixa da Maria Clotilde e do Quim Tó:

- É pá mas esta gente não fica satisfeita com nada? Primeiro a moer o Ministério por causa do pré fabricado e agora livros. Percebe lá esta gente alguma coisa de literatura?! Ó Maria Amélia, faça-me o favor e ponha na pilha que eu não tenho pachorra p’a isto.

E na pilha ficava.

Mas como isto se deu num liceu "de bem", em Lisboa, então temos de ter outra atenção.

 

Depois, fico sempre com a ideia que os filhos destas pessoas "de bem" (chamemos-lhe assim), para além de vestirem sempre encarnado (nunca vermelho) e darem sempre presentes (nunca prendas), não foram concebidos durante uma relação sexual, não, sexo é chavascal e chavascal é para o pobre. As pessoas de bem fazem o amor em leitos imaculados e o climax não se dá em gritos ou gemidos de prazer, mas numa espécie de luz que encandeia as vistas alheias. Assim como quando o Son Goku se transforma em super guerreiro. E o parto? No nascimento de crianças de bem não há dor e muito menos a criança vem de um pipi. Nada disso. Todo o momento se reveste de puro encantamento, em que os enfermeiros se vestem de cor de rosa e os médicos são póneis encantados. Quando a criança vem ao mundo vemos um arco íris lindo e plim, a criança aparece. Só o pobre é que vai parir. Fazemos confusões ou quê?!

 

Acho extraordinária a dedicação destes pais, porque, ao que parece, todos foram ler o livro. E já que leram este, espero eu que tenham lido todos os outros no Plano Nacional de Leitura. Esta gente não é culta. É mega culta. Ou se calhar houve um beato que leu e depois tirou cópias das páginas pecaminosas para mostrar aos outros. Eu aposto que é mais a segunda. Ou ainda, de tão entediante e persecutória que é a sua vida, depois de saberem que havia 2 páginas e meia de sexo correram a ler. Aí pipis e pilas, pipis e pilas!

Pessoas, tenham juízo! Acham mesmo que com 13 e 14 anos os miúdos ainda não sabem de onde vêm os bebés? Acham mesmo que com 13 e 14 anos ainda não sabem que os meninos têm pilinhas e as meninas pipis? Por maior escândalo que vos possa parecer, alguns já terão até aprendido a usa-los. Desculpem lá a franqueza.

Sim, porque quando eu andava na escola a Marlene Sofia ficou grávida. Estávamos no 8º ano e ela tinha a mesma idade que eu. Por mais inculta que possa parecer nunca chumbei e nunca andei em nenhuma escola de ensino especial. Fiz isso tudo no publico, numa escola pré fabricada e que ainda hoje tem um excelente corpo docente. Que preparou alunos para ser médicos, engenheiros, investigadores, pedreiros, desempregados e parvos, como eu. Como podem ver, de tudo um pouco, numa espécie de potpourri de seres humanos.

 

Mas continuando com a viagem literária, calculo que por esta altura tenham já preparado um abaixo assinado para “Os Maias” porque se sexo é um escândalo, então esperem até um irmão e uma irmã se começarem a encavalitar um no outro, várias vezes. Por encavalitar não estou a falar de equitação, estou a falar de se comerem um ao outro, fornicarem, fazerem sexo, porque fazer o amor só acontece depois do matrimónio.

Então não seria melhor os miúdos irem por fazes, primeiro lerem sobre o sexo e depois vir o incesto?

 

Revolta-me esta permanente busca pela opcionalmente escolhida ignorância. Será que ainda não aprenderam nada? Que ainda não conseguiram encaixar que a pior coisa que podem fazer é esconder aos miúdos a realidade, com histórias fantasiosas e respostas evasivas? É melhor irem pesquisar à wikipedia, ou aprenderem com as novelas? Olhem que lá há sempre muito amor e muito pouco preservativo. Eu diria que este ultimo é sempre útil. Para além disso, se os miúdos até podiam achar o livro uma seca, agora vão estar numa cegueira fora de serie por lê-lo, tal não é o espalhafato em torno de 2 páginas. Valha-me Deus, vamos com 2 séculos e tal disto e ainda ninguém aprendeu que o fruto proibido é o mais apetecido. Jesus!

 

De qualquer modo, assim se avalia um livro. Menos de meia dúzia de páginas e pronto. Parece o livro do demónio que vai conspurcar as mentes límpidas destas inocentes crianças. Crianças estas que, nem devem ter acesso ao youtube para ver ao vivo como se faz. Nunca ouviram Snoop Dog com as senhoras semi nuas que o acompanham sempre, entre outras músicas de letra sexual (este foi um exemplo). Não me digam que põem os miúdos a ouvir Renascença e TSF em permanência.

Acham mesmo que miúdos com 13 e 14 anos nunca viram (ou pelo menos tentaram ver) um filme pornográfico? Minha gente, até no American Pie que passa à tarde em períodos de férias há miúdos a masturbar-se, a fazer insinuações e há um que diz que "fuck" toda a gente. Mas isso não faz mal, porventura porque não está no Plano Nacional de Leitura.

“O meu Afonso Maria jamais faria isso! Usar a internet para coisas do mal. Afonso Maria dedica-se inteiramente a seus estudos e usa a internet unicamente para investigação.”

Claro que jamais. E eu acredito bem que investigue.

Ou depois a prima manda cartas à Maria com perguntas como “Querida Maria, se eu lavar os dentes com a escova do meu primo fico grávida?” Arriscando-se a que um dia alguém a esclareça de forma errada.

Que mentes tão pudicas, que mentes tão pobres, que mentes tão pequenas. Quanto mais ferramentas temos para procurar a evolução da nossa espécie, mas retrógrados e tacanhos nos tornamos.

 

E no fim de tudo isto, falamos de um livro cuja descrição reza assim:

"Num ambiente rural onde a religião é uma âncora fundamental e a visão do pecado uma pesada herança do Estado Novo, o nosso reino começa como uma aventura terna e cândida, contada por uma criança obcecada pela diferença entre o bem e o mal. Conseguirá o narrador escapar e transformar- se em borboleta ou anjo?"

Ui, qual 50 Shades qual quê!!! Isto deve ser lambada e cama que até doí.

Ó pá não me moam a cabeça e tenham dó de mim!

 

Quanto a mim, vou comprar o livro. Vou lê-lo e muito provavelmente coloca-lo para leitura lá em casa. E logo que entenda que pequeno sôtor está apto para o compreender, seja com 10, 12 ou 18, quando ele quiser, vou dar-lho para ler. E vou perguntar-lhe se entendeu, se tem questões, e vou esclarece-lo. Eu, ou o pai, se ele preferir, não a internet e muito menos as suposições ou os primos dos amigos que mal sabem duas coisas e meia da vida.

 

 

7 comentários

Comentar post

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

------Blogs de Portugal------

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D