Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

...entre a tristeza dos dias e a ansiedade dos momentos.

 

tumblr_nw1ofttsl21slhhf0o1_1280.jpg

 

Passa das nove da noite e corres pela caso como se o dia ainda tivesse 10 horas pela frente. Dormiste, descansaste, brincaste. Não estiveste preocupado com a vida, nem ansioso com os momentos que se seguem na realidade dos nossos dias.

Passa das nove da noite e estás feliz. Corres. Queres que te apanhe para largares uma gargalhada quando te abraço e eu, eu choro por dentro. Engulo as lágrimas de quem está demasiado cansado para ter vontade de brincar contigo. Forço-me a ir atrás de ti. Mais com medo de que caias e te magoes do que pela tua gargalhada. E sinto-me triste. Sinto-me impotente perante o meu cansaço. Sinto-me menos porque devia querer ver-te rir. Afinal é essa a mãe que eu sou, não é? A mãe palhaça.

A semana passou sem que eu desse conta de existir na maior parte dos dias. Ainda que todos tenham sido mais longos do que deviam ser. Entre o que precisas e o que tenho de fazer porque não quero que nada te falte, faltamo-nos um ao outro. Porque não há heranças de família para nos fazer ricos de um dia para o outro, porque tu vais ter o que eu não tive. Porque te quero bem demais para correr o risco de te faltar alguma coisa.

Então falto eu. Mal te vejo na maioria dos dias.

Entro e saio de sala em sala. Mais uma reunião. Outra ali, outra aqui. Pensa, pensa. Problema atrás de problema. Mais outra questão para resolver. E a cabeça que vai explodir. Esta semana não dormi 6 horas noite nenhuma. Dormi menos que isso e ainda acordei a meio.

Hoje acabei o dia sem saber quem era. Acabei a semana capaz de cair para o lado. Desistir. Saí para casa com a pensar que já não consigo mais, em vez de a semana terminou.

Tu não sabes que passo as semanas entre a tristeza dos dias e a ansiedade dos momentos. A gerir o stress de quem tem de ter um mundo de coisas feitas quando nem um continente de tempo tem para o fazer. Não sabes que muitas vezes o peito me doí e o ar me falta porque não sei em que direcção me devo guiar. Não sabes que começo o dia com medo do que ainda tenho para fazer. Se o vou conseguir fazer.

E penso que quero uma vida diferente para ti. Uma vida em que a ansiedade chegue porque queres estar, porque à paixão no que fazes. Como quero que entendas isso. Como quero que trabalhes para isso. Como queria que me tivessem dito desde o primeiro dia.

Todos temos de fazer coisas que não queremos. Bem sei. Mas a vida podia ser mais equilibrada. 

Corres pela casa e estou cansada. 

- Dá-me 5 minutos para desaparecer. Já venho.

Preciso de mim para juntar as peças outra vez. Queria deitar-me e só acordar amanhã ao meio dia. Mas isso não vai acontecer. Vais acordar antes das 7, com a alegria de quem tem amor à vida. Graças a Deus desconheces a palavra preocupação. Não anseias pelo amanhã, porque para ti ele alinda não existe. Existe o hoje até caíres para o lado de sono.

Agora vou ter contigo à sala, onde brincas com o pai. Onde carregas nos botões do comando. Onde o atiras para o chão depois de garantires que deixou de funcionar.

Vou esquecer-me que estou cansada. Vou cavar um buraco na minha memória e pôr lá a minha ansiedade. Esquecer que na próxima semana há uma segunda feira cheia de problemas à minha espera. Esquecer que mais um dia vou estar contigo pouco mais de fracções de segundo. Que vou entrar e sair de salas. Que vou ter o peito apertado e o ar vai escassear.

2 comentários

Comentar post

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

------Blogs de Portugal------

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D