Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

Estava um vento de merda na praia

Hoje ouvia na rádio que a Vodafone tem uma nova app que permite saber como está tudo e tudo lá para os lados da praia, mesmo antes de lá chegar. A saber: temperatura da água, temperatura do ar, índice UV, humidade, velocidade do vento, ondulação, etc.

Eu, que nasci e cresci na Margem Sul e pouco mais sou que uma mulher das cavernas, acho que uma pessoa saber estas coisas todas antes de ir à praia desvirtua todo o conceito de ir à praia.

Uma pessoa levanta-se de manhã e, antes de outra coisa qualquer, tenta perceber a que planeta pertence e se estamos perante um dia inútil de trabalho ou um dia útil de férias/fim de semana. Confirmando-se de que se trata de um dia útil (de acordo com a descrição anterior), a pessoa procede ao apalpamento de apetecimentos, com vista a compreender se tem vontade de levar o seu lombo para a praia logo pela manhã. Caso contrário adia para o final do dia.

Chegado o momento de fazer caminho a pessoa dirige-se à janela mais próxima e analisa o céu: (1) verificar se há muitas nuvens e, a haver, se são branquinhas ou se ameaçam chuva; (2) olha para as árvores para compreender se está vento ou não; (3) vai ver se tem o carro ao sol ou se apanhou sombra, de maneira a preparar-se fisicamente para a dor que lhe irá causar sentar o befe num forno.

Feita que está a avaliação mínima de "condições praia" a pessoa pega na família, onde estão incluídos: o marido, o filho, o carro do filho, a piscina de borracha do filho, a boia do filho, o baldinho do filho, a pázinha do filho, o ansinho do filho, o iogurte do filho, a fruta do filho e todos os pertences habituais de um filho com 2 anos. E vai para a praia.

Chega à praia e de facto constata se está vento ou não. A estar (como esteve ontem) a pessoa procede à chingamento ofensivo de um Santo que dá pelo nome de Pedro, porque "com tantos dias para mandar vento o filho da puta escolhe sempre os dias de folga de uma pessoa." Depois, o filho da pessoa pede para ir buscar água, este - em resultado de algumas análises estatísticas - já compreendeu que a água está, invariavelmente, fria. Pelo que pede à sua mãe que leve a sua carcaça velha até ao mar para lhe ir buscar baldes de água e encha a sua piscina de borracha.

Esta ultima cumpre como requisitado e, aproveitando para molhar o pé e "ver como está a água" (como se alguma vez a água do mar em Sesimbra tivesse estado morna nos últimos 34 anos em que a frequenta). Ao chegar ao mar e sentindo os ossos encarquilhar dentro da pele, chega à brilhante conclusão que a merda da água está gelada ´"até faz doer os ossos". O marido, já calculava que assim fosse, pelo que nem se dá ao trabalho de ir experimentar.

Praia é isto minha gente. É poder chegar ao sitio e chingar esse mesmo sitio porque não tem as condições ótimas que idealizámos. É ter a oportunidade de, na segunda feira, poder contar aos colegas no trabalho que: "fui à praia mas aquela porra estava uma merda porque estava um vento do caraças que até o miúdo reclamava com a quantidade de areia que lhe entrava involuntariamente boca adentro". Saber quais são as exatas condições desvirtua tudo. Senão vejamos, consulto a app e sei que está vento, mesmo um vento do caraças, conto o quê na segunda feira: "fui à app e vi que não havia condições ótimas." É isso? Tenham dó de mim. Eu sou tuga, gosto de ter de que me queixar.

 

6 comentários

Comentar post

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

------Blogs de Portugal------

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D