Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

Eu vejo a Casa dos Segredos

untitled.png

 

Quando começou a nova Casa dos Segredos coloquei aqui um post simples e parvo, onde, para além do titulo apenas houve uma imagem. Creio que posso não ter sido bem interpretada, porque de facto não sou anti-Casa dos Segredos, nem tão pouco acho que seja um programa de televisão que subtraia a minha capacidade intelectual, ou que a diminua.

Veja eu ou não a Casa dos Segredos, se for burra, assim continuarei, se for sobredotada, manterei essa capacidade.

Afinal de contas quem é a sumidade que algum dia definiu o que é um programa de televisão adequado e inteligente? Interessante ou rasteiro? Para mim, à semelhança do que acontece com os livros, os blogs, os filmes ou até as músicas, nem sempre me apetece a mesma coisa.

Gosto de ver o canal História, ou do Discovery Chanel, mas o tempo todo é uma seca.

Confesso-me uma mediana consumidora de reality shows. Não entro em stress nem em ansiedade porque perco um episódio, mas se estiver a fazer zapping e bater com as Kardashians, sou bem pessoa para estar ali uma horinha a vegetar enquanto vejo aquela toleira toda.

 

“Ah mas aquela gente não faz nada que ajude a ninguém?”

(Grilos. Sabem quando nos sketches alguém diz alguma coisa que não se entende e se ouvem grilos…?)

Nem eu. Tenho um emprego dito tradicional, mas estou longe de salvar a vida a quem quer que seja.

 

“Ah mas não contribuem para nada!”

Discordo. Contribuem para o entretenimento de muita gente, como por exemplo eu.

 

Em 2014 fui recambiada para casa pela minha médica obstetra, contracções e outras chatices que agora não interessam para nada.

Nas primeiras duas semanas li de tudo. Desde o “Livre” (já que eu estava presa) ao primeiro volume do Guerra e Paz. Comecei um blog que entretanto fechei. Mas sentia-me sozinha. Enclausurada.

Confesso que desde esse período me faz muita confusão ver animais em gaiolas ou aquários. Animais em zoos. Estar “preso” é sufocante.

Mas adiante.

Nessa altura estava a passar uma da Cada dos Segredos, creio que a 5, a anterior a esta. Assim como quem não quer a coisa lá ia ficando a ver umas partes, a acompanhar as discussões, as tricas. A tomar partidos.

A “conhecer” aquelas pessoas.

Podem dizer-me “mas não conheces, só conheces o que querem que vejas”. Exactamente o mesmo que acontece com as pessoas cujos blogs leio e que acompanho. Não as conheço, mas há uma sensação de que nos conhecemos, ou de que nos vamos conhecendo.

Afinal de contas quem é que nos conhece mesmo. Provavelmente uma mão chega para enumerar, e ainda sobram dedos.

 

Aborrece-me a critica a quem se inscreve. E sim, também eu me rio das calinadas, das parvoeiras, da unhas exageradas, das roupas cheias de lantejoulas.

Mas será que são assim tão diferentes de todos nós? Das pessoas que se cruzam connosco na rua?

Conheço pessoas sobejamente inteligentes que leram em toda a vida pouco mais de 1 livro. Nem todos temos de ter esta paixão. Não é obrigatório ao QI ler livros.

 

“Porque se expõem.” “Porque querem é arranjar maneira de ganhar a vida sem fazer nada.”

Quantos de nós dariam o rabinho e dois tostões para ganhar o Euromilhões e não ter de trabalhar mais na vida? Afinal de contas é porque gostávamos de não fazer nada – ou só fazer o que nos apetece – que todos nos lamuriamos quando voltamos ao trabalho depois de umas semanas de férias.

“Pois mas com o Euromilhões eu não exponho a minha imagem”. Verdade! Mas isso são escolhas.

Creio que a critica que é feita a estas pessoas passa pela pura e simples incapacidade de respeitar as escolhas dos outros. Ponto. Se querem participar num reality show que participem, ninguém tem nada que ver com isso.

Não gostam, é mudar de canal. Generalistas há 4 e todos bem preenchidos. Mas como a maior parte das pessoas têm TV por cabo acredito que tenham pelo menos mais 99 canais para escolher.

 

O mal é que dá que falar. Cria curiosidade. Dá assunto. E mesmo os que criticam falam. Mesmo os que dizem recusar ver saem do seu caminho para ir dizer “não gosto”. Porquê?

 

A verdade é que para alguém que seja esperto e minimamente organizado, este programa pode efectivamente criar oportunidades. Têm duvidas de que, se uma destas pessoas abrir um espaço comercial irá à partida ter muito mais procura do que se for um anónimo? Se escrever num blog, por mais fraco que possa ser (e se calhar até se mostra não ser) vai ter, à cabeça, uma média muito superior de visualizações do que eu? Ou do que a maioria dos blogs?

 

“São burros!” Porquê? Porque se enganam a responder a perguntas de cultura geral? Porque não sabem a capital do Burundi? Porque não sabem dizer uma palavra esdrúxula?

Se é por esse motivo então podem começar a mandar pedras, que eu também errava nas respostas.

 

Muitos dizem o que têm de dizer para ser seleccionados. Em resumo, fazem aquilo que muitas pessoas fazem quando vão a uma entrevista de emprego. “Gosto muito de trabalhar em equipa e sou super pró ativa!”, depois assinam contrato e arranjam sarilhos com o primeiro colega, e só fazem o que lhes é dito.

Dizem o que têm de dizer para passar na entrevista.

É o que fazem estas pessoas.

Se eu me candidatar a um reality show e disser que sou casada, tenho um filho, faço uma vida de trabalho – casa, o que é que vai acontecer? Ninguém me escolhe. Não dou canal! E isto de dar canal é apenas a resposta do canal (passo a redundância) de TV ao que o publico gosta.

Alguém fica em pulgas de ver numa capa da TV 7 Dias “concorrente da casa dos segredos levava o filho à escola todos os dias a horas”?

Seca.

 

Por isso sejamos mais tolerantes. Com quem participa e com quem vê.

Cada um tem os seus gostos e há escolhas para tudo. Se seria ideal que todos passássemos os serões a ver o Vitorino de Almeida ou a acompanhar o desenvolvimento político das nações? Seria. Mas ao fim de um dia de trabalho e afazeres quem é que tem cabeça para isso? Todos os dias?!

São escolhas de vida. Porventura e certamente diferentes das nossas, mas escolhas. Que não impactam com o nosso bem estar.

 

19 comentários

Comentar post

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

--------Instagram--------

------Blogs de Portugal------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D