Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

Halloween

holoww.png

 

Ora como autora deste blogue que tem como propósito fundamental falar de questões essenciais à vida, deparei-me com a necessidade de compreender o que é esta porra do Dia das Bruxas e de como isto começou.

Não me enfiei numa biblioteca, em primeiro lugar porque não tenho tempo e em segundo porque hoje em dia há net e não vale a pena andar a lamber papel cheio de ácaros.

Pelo que encontrei um site que me pareceu suficientemente fidedigno para esclarecer "Quando surgiu o Dia das Bruxas?"

 

"O Dia das Bruxas que conhecemos hoje tomou forma entre 1500 e 1800.

Fogueiras tornaram-se especialmente populares a partir no Halloween. Elas eram usadas na queima do joio (que celebrava o fim da colheita no Samhain), como símbolo do rumo a ser seguido pelas almas cristãs no purgatório ou para repelir bruxaria e a peste negra.

Outro costume de Halloween era o de prever o futuro - previa-se a data da morte de uma pessoa ou o nome do futuro marido ou mulher.

Em seu poema Halloween, escrito em 1786, o escocês Robert Burns descreve formas com as quais uma pessoa jovem podia descobrir quem seria seu grande amor.

Muitos destes rituais de adivinhação envolviam a agricultura. Por exemplo, uma pessoa puxava uma couve ou um repolho do solo por acreditar que seu formato e sabor forneciam pistas cruciais sobre a profissão e a personalidade do futuro cônjuge.

Outros incluíam pescar com a boca maçãs marcadas com as iniciais de diversos candidatos e a leitura de cascas de noz ou olhar um espelho e pedir ao diabo para revelar a face da pessoa amada.

Comer era um componente importante do Halloween, assim como de muitos outros festivais. Um dos hábitos mais característicos envolvia crianças, que iam de casa em casa cantando rimas ou dizendo orações para as almas dos mortos. Em troca, eles recebiam bolos de boa sorte que representavam o espírito de uma pessoa que havia sido liberada do purgatório.

Igrejas de paróquias costumavam tocar seus sinos, às vezes por toda a noite. A prática era tão incômoda que o rei Henrique 3º e a rainha Elizabeth tentaram bani-la, mas não conseguiram. Este ritual prosseguiu, apesar das multas regularmente aplicadas a quem fizesse isso."

Gosto desta coisa de adivinhar um morto ou com quem se vai casar. Que toda a gente sabe que está logo ali ao lado. Falecer e casar. Agrada-me sobejamente também o conceito de adivinhar coisas sobre a pessoa com quem se iria passar uma vida por base nos legumes que se arrancavam pelo chão. Intriga-me, que raio pode uma pessoa aferir de outra por subtrair do solo um repolho?

Devo ser mesmo parva que não entendo.

De qualquer forma, graças a Deus isto chegou a Portugal depois de acabarem com a porra dos sinos, que se isto fosse para ouvir sinos a badalar a noite inteira quem dava a travessura aos putos era eu. À espera deles com a vassoura para lhes dar umas arrochadas no lombo!

Confesso que me faz alguma confusão esta coisa de ver pessoas a festejar e a gastar dinheiro para comemorar uma coisa que nem sabem o que é, qual a sua origem e fundamento. Hoje já perguntei a várias pessoas o que raio era isto do Halloween e o melhor que consegui foi a tradução "atão, é o Dia das Bruxas", como se eu - pessoa que até fala eloquentemente Inglês (a sério que falo, I kid you not) - não conseguisse chegar a essa tão linear conclusão.

 

Por isso aqui fica um esclarecimento. Para quem festeja e para quem - como eu - acha que não faz sentido gastar dinheiro a festejar os costumes dos outros.

De qualquer modo, depois do Halloween encontramo-nos no 4th of July?

 

(link da info disponibilizada aqui)

11 comentários

Comentar post

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

--------Instagram--------

------Blogs de Portugal------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D