Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Em busca da felicidade

Ontem

ontem.jpg

 

Antes da 5 da manhã acorda.

Quer o colo da mãe. Depois quer leite. Tem de ser sempre assim. Ao meu colo.

Bebe um biberão cheio e só adormece na minha cama com as pernas enroscadas no meu braço.

Adormeço torta e acordo com um torcicolo e um braço dormente. O que para uma hipocondríaca de nível 4 em 5 como eu é grave, porque a primeira coisa que me ocorre é "sintoma de enfarte". Mas percebo que são só duas pernitas gorduchas em cima do braço e que afinal não há nenhuma calamidade.

Fico em stress porque já são 7 da manhã e eu devia ter-me levantado às 6. "Mais um dia que não acordo a horas e o Nuno tratou de tudo sozinho".

Chego ao trabalho milagrosamente em cima das 9. 

A conversa da manhã faz-me saber de coisas que não quero que sejam verdade. Coisas que não deviam ser assim. Coisas que me revoltam e me fazem ter vontade de arrancar e passar por uma serie de pessoas como um furação.

Relutantemente resigno-me à verdade de que nada existe que eu possa fazer.

Digo mal à minha vida dentro da minha cabeça. Quando é que vai ser diferente?

Aproveito a hora de almoço para ir ao ginásio.

Treino: pernas.

No fim do treino estão como a gelatina e eu mais capaz de cair para o lado do que tomar banho. Digo a mim mesma mil vezes que é tudo psicológico. Que não vou cair.

Não caio para o lado e aguento-me por um fio.

Fico sem fome e obrigo-me a comer o mínimo possível para ter açúcar no sangue.

Volto ao trabalho para pesquisar online o que possa ter causado aquela quebra. Porventura pouco nutrida (ou insuficientemente nutrida). Porventura demasiado peso nas pernas. Porventura a inexistência das duas safinas internas dificulte a circulação do sangue ao seu circuito normal quando há um aporte tão grande para o esforço que está a ser feito. Porventura...porventura...porventura...

Se calhar tenho de ir ainda mais devagar nos treinos...se calhar por causa desta problema de circulação não posso levantar pesos como quero...se calhar...se calhar...

Tenho uma reunião às 14. Não tenho a certeza se vou cair para o lado e ainda por cima é com o CEO.

Boa!

Aguento a reunião e não me estatelo. Ainda falo e digo coisas coerentes.

Magnifico.

No meio disto vou espreitando o telemóvel. Vou espreitando o Facebook, o instagram e o blog.

Hoje ninguém me diz nada! Pouco mais de 2 ou 3 comentários.

"Se calhar o mal foi terem-me dado tanta atenção no dia anteriror." Comentários no blog. Conversa com a prima no Facebook.

Apeteceu-me amuar.

Amuei.

Depois passou. Que há malta boa. Que apareceu logo depois do meu post de lamuria...

Às 18 e tal acabou o dia de trabalho. Meteu-se a Vasco da Gama que a 25 de Abril estava de morrer. Antes das 20 estava com o pequeno nos braços.

E o dia começou outra vez.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

4 comentários

Comentar post

------- Mais sobre mim -------

foto do autor

------ Gostar da Página ------

------ Blogs de Portugal ------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D