Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Em busca da felicidade

Cá em casa não há só comida saudável

 

Este fim de semana estava a arrumar as compras e dei comigo a olhar para a minha despensa: farinhas alternativas, linhaça, conservas, quinoa, frutas diversas, tapioca, pickles, batatas doces, batatas, cebolas, alhos, batatas fritas, gomas, um pacote de pipocas.

Podia estar aqui até amanhã a descrever cada item que tenho na minha despensa. Não vou fazer isso porque não há pachorra. É verdade. O que interessa para o que tenho a dizer termina com os últimos três itens a que me referi: batatas fritas, gomas e pipocas. Não são, de maneira nenhuma, a coisa mais saudável do mundo. Mas também este não é um blog de comida saudável e de uma gaja fit. É antes um tasco de alguém que se vai esmifrando para conseguir ter uma vida mais ou menos saudável.

 

Nesta vida já fiz dietas de muitos tipos. Confesso que nunca me meti naquelas coisas dos batidos, nem me deu para comer só uma tipologia de alimento por dia; como uma colega minha, que passava um dia a comer ananás. Houve uma fase em que, de facto fechei a boca, mas normalmente sempre consegui melhores resultados com exercício regrado e menos horas de befe sentado no sofá do que com cortes extremos na minha alimentação.

 

Depois de o miúdo nascer andei numa fase de cortar com muita coisa: açúcar, farináceos, glúten, lacticínios, etc. Não tenho qualquer intolerância, pelo menos que conheça, e mesmo assim decidi eliminar muita coisa. Senti-me bem, não posso dizer que estive a cair aos pedaços, mas falta o prazer. Falta o prazer de uma pasta com camarão e queijo da ilha derretido. Falta uma boa mousse de chocolate caseira. Falta um balde de pipocas a ver um filme com o marido ao fim de semana, enquanto o puto dorme a sesta.

 

Há comidas que me fazem falta. Que me fazem mais feliz. Que fazem parte do meu equilíbrio. Aprendi com as coisas que experimentei novas formas de cozinhar. Obriguei-me a criar novas formas de cozinhar, descobri novos alimentos. E isso foi muito bom. Mas pára aí: na aprendizagem. No envolver o que se aprendeu de novo na minha vida e seguir sem fundamentalismos. Sem as obrigações de que agora só como isto e daqui a nada só como aquilo.

Para mim, e eu sirvo de exemplo apenas para mim mesma, é necessário um equilibro, e esse passa por comer algumas coisas «nefastas» para bem da minha sanidade mental.

 

Saí um Iogurte verde para a mesa do canto

Sem lacticínios, sem glúten nem açúcar e cheio de coisas boas.

Querem saber como se faz?

Ora cá vai disto.

 

IMG_3324.JPG

(quantidades para 2 pessoas)

 

  1. Colocar num liquidificador (ou em recipiente onde possam usar a varinha mágica): 1 iogurte vegetal (coco, soja ou amêndoa – sem açúcar) + 1 banana (de preferência madura) + 2 colheres de café de spirulina + 1 colher de café de lucuma + 2 colheres de café de maca + 2 colheres de sobremesa de mel*.
  2. Bater tudo.
  3. Dividir em duas taças e adicionar a gosto: morangos + amoras + mirtilos + kiwi + framboesas + bajas de goji + pevides.
  4. Terminar tudo com um pouco de canela.

 

Depois é tirar a foto para escarrapachar nas redes sociais (enquanto o prato ainda está arranjadinho) e depois envolver tudo e papar o iogurte que fica bem bom.

Quem vos ensina coisas boas, quem é?

Pois é!!!!

 

 

*Não comprem mel de supermercado, a maior parte dele é só açúcar. Se puderem vão aos mercados, às feiras das localidades. Compram bom mel, feito pelos apicultores locais. É biológico e não pagam o rótulo como tal. Sim porque nos supermercados bio limpam-nos a carteira com o preço do mel biológico (mas já foi pior).

 

Queques de chocolate saudáveis - de comer e chorar por mais

Ora pois que sou menina prendada e também sabe cozinha. Ora pois é. E como sou pessoa dada a querer viver mais que o Manoel de Oliveira tenho de estar atenta às coizinhas boas.

Desta feita e sem mais delongas, porque já é tarde e tenho mais que fazer. Deixo-vos aqui uma receita original de Muffins de Chocolate.

 

IMG_3322.JPG

 

Não leva açúcar de cana, não leva adoçantes artificiais.

Faço notar que não é um Muffin light, não faço ideia de quantas calorias tem, nem me interessa. Sei apenas que todos os ingredientes têm propriedades que nos fazem bem. O resto é treta.

Ora cá vai.

 

Os ingredientes servem para 12 muffins.

O forno deve estar pré aquecido a 180ºC.

Uso sempre formas de papel para não colocar mais gordura e porque é, por e simplesmente, mais fácil.

 

Ingredientes:

2 Beterrabas pequenas cozidas

1 Banana

50 gr. de açúcar de coco

3 Ovos inteiros

50 gr. de chocolate negro

1 Embalagem de 200 ml de natas de soja

1 Colher de sopa de mel

150 gr de farinha de espelta

2 colheres de sopa de cacau bio

1 colher de sopa de linhaça dourada

1/2 colher de sobremesa de fermento em pó

1/2 colher de sobremesa de bicarbonato de sódio

Chocolate negro extra em lascas para pôr por cima antes de ir ao forno

 

Preparação

1. Numa taça colocar o chocolate negro com 1/2 embalagem de natas de soja e levar ao micro ondas até o chocolate derreter e envolver por completo com as natas. Mexer bem com uma colher.

2. Reduzir a puré as beterrabas e a banana, com a ajuda da varinha mágica.

3. Adicionar ao puré referido o ponto 2 os seguintes ingredientes mexendo a cada adição: açúcar de coco, mel, chocolate derretido, natas e ovos.

4. Adicionar a farinha peneirada. Envolver bem.

5. Adicionar o cacau e a linhaça. Envolver.

6. Adicionar o fermento e o bicarbonato e envolver.

7. Colocar uma porção em cada forma e levar ao forno por 20 minutos na prateleira do meio.

 

IMG_3323.JPG

 

Uma delicia é o que vos digo.

 

TAG 1 - Alimentação (desafio)

untitled (2).png

 

Ora pois que o João me desafiou para escrever sobre as minhas comezainas e eu, moça que quando pode gosta de responder a um desafio, cá venho tratar de responder a estas perguntinhas simpáticas. (ou quase todas simpáticas que a 6 não é lá muito carinhosa….)

(se tivesse mais tempo - mas estamos em Dezembro - era menina para escrever um texto de introdução mais composto, mas como o tempo é escasso, faz-se o que se pode)

Assim, cá vai disto:

 

1. O que costumas comer no dia-a-dia?

Bom, como de tudo um pouco. Ainda que evite as carnes vermelhas e os doces. Ultimamente deixei de lado os lacticínios e dei-me bem com essa opção. Os produtos com base em farinhas muito processadas também evito tentando consumir produtos com menos glúten ou sem glúten.

 

2. Preferes doce ou salgado?

Doce, sem dúvida nenhuma. Por isso é que me foi mais difícil controlar a ingestão de glúten, ainda que hoje já existam muitas e boas alternativas para os gulosos como eu.

 

3. E quanto a dieta, preocupas-te com isso ou comes sem pensar no amanhã?

Não gosto da palavra dieta. Faz-me pensar em alto muito restritivo e castrador. Acho que o mais importante é comermos a pensar no nosso bem estar e na nossa saúde. Por isso penso no que como, ainda que sem fundamentalismos e sem exageros.

 

4. Qual é a tua comida e sobremesa favorita?

Há muitas coisas de que gosto e acho que às vezes tenho fases. Contudo há duas coisas que me apetece comer sempre: panquecas e American Apple pie.

 

5. O que é que odeias comer, mas comes porque precisas?

Tal como qualquer criança…bróculos. Mas atenção, não odeio. Só não gosto. Coisas que não suporto não como mesmo.

 

6. Quanto pesas? Querias pesar mais ou menos? Estás satisfeito com o teu peso? 

Bom, a uma senhora não se pergunta o peso…nem a idade…mas bom cá vai disto. Neste momento peso 57 kg e gostava de pesar menos. De qualquer forma, considerando que fui mãe há pouco mais de um ano e que tinha engordado 20 kg, até estou bastante satisfeita comigo.

 

7. Qual a fruta favorita?

Esta é difícil. Gosto de praticamente todas as frutas. Mas diria frutos vermelhos no geral. Mirtilos, framboesas e amoras.

 

8. Comes ou gostas de verduras e legumes?

Como e gosto bastante.

 

9. Quantas refeições fazes diariamente?

Ora bem, tive de parar para contar. Porque mais do que ter em mente quantas refeições faço, tendo ter em conta que não faz bem estar muitas horas sem comer. De qualquer forma, em média faço 5 a 6 refeições por dia.

 

10. O que  gostarias de comer, mas o teu consciente não permite?

Bolachas, muitas bolachas. Só bolachas. Bolachas de tudo. Quando era miúda não achava graça nenhuma à Rua Sésamo, com exceção do monstro das bolachas, sempre o achei parecido comigo, bruto, resmungão e sempre a devorar bolachas.

 

E é isto.

 

 

Sou preguiçosa...

(imagem retirada da net)

 

 

..., gulosa, medrosa, stressada e nada organizada.

É por isso que me vejo a braços com este lombo largo que trago comigo.

 

Em Dezembro de 2013 pesava 49 quilos. Corria durante a semana. Nadava pelo menos uma vez ao fim de semana.

Fumava.

Em Fevereiro de 2014 decidimos que queríamos tentar. Por isso deixei de fumar. Confesso que me faz confusão ver uma grávida a fumar.

Por mim nunca fui capaz de parar. Por um ser que ainda nem existia não me custou nada (ou mais ou menos isso).

Em Junho de 2014, quando descobri que estava grávida, pesava 54 quilos. Mais 5 que no inicio do ano.

Achei natural, com a gravidez e o ter deixado de fumar.

Em Fevereiro de 2015, na véspera do parto, pesava 72.

Nunca tinha visto a balança acima dos 70. Perto, muitas vezes. Acima...nunca.

O bebé nasceu. A avalanche de amor chegou. Deixei de me lembrar de mim, de dormir, comia o que aparecia e não visitava a balança. Comprei umas calças maiores.

Quando ao fim de 5 meses regressei ao trabalho ainda vestia o 40.

Sentia-me pesada e cansava-me depressa.

A ansiedade começou a tomar conta de mim e o ginásio pôs-se como uma opção natural para drenar o stress. Estou inscrita desde Outubro do ano passado e tendo ser o mais assídua possível.

Mas a disciplina com o que como sem sempre é a melhor. E em alguns dias o cansaço lava a melhor de mim. A parte medrosa toma conta e confesso que tenho medo de ter um treco qualquer.

Não sei se puxo demais umas vezes, se de menos outras.

Enfim, sou pouco consistente.

Decidi falar com um PT. Mas não sei se é a melhor opção. Pelo menos não para já. Se não tenho disciplina não vai ser ele a dar-ma.

Estava com saudades de correr.

Misturei tudo e decidi que nas férias começava a disciplinar-me. Afinal de contas com mais tempo e mais tranquilidade seria mais fácil.

Registei um plano de treino (singelo) na Asics, a ver se volto aos 5 km sem ficar com os bofes na boca. E decidi seguir alguns treinos funcionais do Salgueiro (foi com esses que mais estive em forma desde que fui mãe).

Na segunda e na terça lá cumpri. Ontem, com o quarto do miúdo por arranjar e o jantar com o marido, lá ficou o treino por fazer e hoje, hoje bateu a preguiça misturada de ansiedade, de quem sabe que as férias não são eternas e sente que o corpo precisa de descansar.

Não fui correr como devia.

Fui à pastelaria comprar um bolo.

Enfim, afoguei o treino em doce de ovo.

Prometi a mim mesma que me dou até ao final desta semana.

Na segunda começa a contar.

Preciso de forças pessoas! Forças para levar isto avante. Para me disciplinar, para me organizar, para perder a preguiça, para comer um iogurte em vez de uma bola de berlim.

Segunda! Segunda é que vai ser!

 

 

Alguém tem uma parede para demolir em casa?

20160920_123313.jpg

 

Ontem deu-me para fazer uns muffins. Quis fazer uma coisa mais a atirar para o saudável (e porque tinha de gastar as pepitas de cacau biológicas antes de passarem do prazo e ter de ouvir o homem a dizer outra vez "compras estas coisas que custam uma pipa de massa e depois...") por isso, com os ingredientes que tinha em casa lá desencantei uma receita, alterei o sabor do iogurte que era aconselhado e em vez de mirtilos vai de pôr as pepitas.

Ficaram...ficaram...como é que hei-de dizer...deixem-me escolher bem a palavra...já sei! Ficaram uma bosta!

Ficaram rijos. O cacau é azedo (mas faz maravilhas pelo corpo, vi no rotulo). Enfim, um desgosto.

Por isso, se alguém tiver aí por casa uma parede para mandar abaixo é só deixar a morada. Garanto cada arremesso um furo na parece.

 

 

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

------Blogs de Portugal------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D