Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em busca da felicidade

Tenho de ter uma reunião com os meus órgãos....

 

Acho que vou começar a gerir o meu corpo como uma empresa. A minha tola é o CEO, o chefe máximo, mesmo não sendo neste momento a melhor a gerir o que quer que seja porque está ela própria ela mesma toda marada, aliás, de acordo com os exames mais recentes estará mais bamba que qualquer dos outros órgãos. E, talvez seja por isso mesmo que a outra "orgalhada" que tenho aqui para dentro esteja num reboliço só. Não há mão no leme e é o que dá.

Por isso vou agendar uma reunião com os meus órgãos, já tenho organizada a ordem de debate e a coisa vai-se organizar assim.

O intestinos têm de entender que o seu papel é tratar do que o estômago digere, gerir os sólidos e líquidos que mando cá para dentro. Não têm nada de gerir matérias gaseificadas, como às vezes insistem em fazer. Ele e o seu amigo estômago, que é o que me leva a andar a comprimidos para o revestir e não me debruçar com dores, andam a meter os pés pelas mãos. E começo a pensar que tenha de pôr em causa o seu posto de trabalho. E por justa causa!

Isto leva-me a este menino. O senhor estômago. O trabalho dele é digerir refeições, aproveitar o que interessa e mandar, literalmente, a merda para o intestino. Esse é o trabalho do compridinho, lidar com lixo. Cada um tem a sua função e se não gosta, aqui dentro não há mobilidades, nasceu com esta vocação tem de levar com ela até ao fim. Não gosta tem de aprender a gostar. É arranjar coisas que lhe dêem prazer para os tempos livres e levar o trabalho com mais calma.

Os meus pulmões parecem estar a passar muitas horas de conversa com o estômago, depois quando um faz uma pausa o outro, sem know how quer-se meter-se a fazer o trabalho do comparsa. Os pulmões são os únicos com autorização expressa para tratar de matéria gaseificada, não têm nada de gerir sólidos. É porque se metem nestas andanças que depois ando cheia de ranhoca e com dificuldade em fazer entrar o O2. Quer dizer, em vez de fazerem bem o trabalho deles, andam a dar a mão aos coleguinhas que tão bem é encostados à sombra da bananeira e depois a coisa dá asneira. 

Toda a constituição muscular anda baralhada, contrai-se em demasia nuns lados, criando dores e pontadas desnecessárias, como no peito e nas costas onde há mais ossos que banhas, em vez de se concentrarem em contrair, por exemplo, na zona das nalgas ou no pneu abdominal, que são sítios onde há de facto carência de contracção muscular a ver se se põem rijos para o verão. Se a componente muscular quer contrair porque está nervosa então que contraia o glúteo, é aí que faz falta a tensão muscular.

Para já estes parecem-me ser os main issues desta flash meeting que tenho de organizar. A ver se me lembro de alguma coisa para lhes prometer pelo bom trabalho, estão sempre a precisar de um agradozinho.

------ Gostar da Página ------

----ATENÇÃO!----

Este não é o meu cantinho, este não é o meu refugio e este não é o meu diário público. Este é o meu tasco. Servem-se petiscos carregados de óleo velho, jolas, caracoladas e meia dúzia de piadas parvas. Se procura um espaço mais aprimorado é tentar na porta ao lado. Aqui arrota-se. Dão-se chupas aos miúdos (sim com açúcar...nada de stevia). Aqui dão-se erros ortográficos, baralha-se a semântica e escrevem-se frases à Saramago…e não falo da qualidade intrincada de ideias, é mesmo pela falta de pontuação. Aqui corre-se ocasionalmente, mas sempre com os bofes pela boca e acompanhado do #excuses, muitas #excuses. Aqui faz-se o que dá na real gana, mas sempre com algum juízo. Se estiver confortável com o acima disposto, sente-se e mande vir um pires de caracóis que já atendemos.

------Blogs de Portugal------

----- Seguir no Bloglovin -----

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

------------ Arquivo ------------

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D